TOP Destinos

Compartilhar:

BrasilPantanal

 
Avalie esse destino:
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas

Uma grande planície fartamente irrigada por rios e lagoas, o Pantanal é uma região única, que se transforma ao longo do ano ao sabor do clima. Na época das cheias, de outubro a março, a vegetação se renova e a maior parte de suas estradas fica alagada. Na estação seca, de maio a setembro, as águas baixam e os peixes aprisionados nos riachos provisórios viram presa fácil da abundante fauna alada e terrestre da região. Esse período sem chuvas, no inverno, é o ideal para a observação de animais. NoPantanal os astros são jacarés, sucuris, centenas de espécies de aves e a onça-pintada – o mais cobiçado troféu dos caçadores de imagens. A melhor maneira de ir ao encontro dos bichos e da natureza é hospedando-se em hotéis estruturados para isso, dentro de fazendas. Até alguns anos atrás eles eram poucos, mas hoje, felizmente há várias boas opções.

 

Churrascaria Laço de Ouro

Rua Frei Mariano, 534 - Centro, Corumbá - MS, Brasil

Além do festival de carnes no espeto, oferece várias versões de peixes pantaneiros. O pintado ao urucum, típico da região, é feito com filés ao molho de pimentões, tomates e colorau e gratinado com queijo.

VISITE O SITE
 

Kaskata Flutuante

R. Cel. José Dúlce - Centro, Cáceres - MT, Brasil

Especializado em pescados da região, tem como carro-chefe o pintado no espeto e a peculiaridade se servir churrasco de jacaré. Outro grande atrativo é sua localização: fica em uma embarcação atracada no Rio Paraguai.

VISITE O SITE
 

Bento’s

Rua Mal. Floriano Peixoto 357 – Miranda (MS)

Cardápio variado, mas com foco nos peixes regionais. A isca de piranha sem espinho, acompanhada de cerveja gelada, faz sucesso na happy hour.

VISITE O SITE

 

Refúgio Ecológico Caiman

Estrada de Agachi – Miranda (MS)

Com boa estrutura, organiza safári fotográfico com guias treinados em saídas a pé, de jipe, barco e bicicleta. Os hóspedes ficam em duas pousadas em cenários bem diferentes de uma grande fazenda de gado.

VISITE O SITE
 

Fazenda Baía Grande

Miranda - MS 79380-000, Brazil

As expedições para a observação de aves e outros animais são feitas a pé ou a cavalo, ao redor da baía. A pesca de piranha e o acompanhamento da lida do gado a cavalo são outras atrações.

VISITE O SITE
 

Pousada Araras Eco Lodge

Rodovia Transpaneira km 32 brasil

Também especializada em ecoturismo, leva os hóspedes ao encontro dos animais em passeios a pé, a cavalo, de jipe ou canoa.

VISITE O SITE

  1. Sair ao encontro de tuiuiús, garças, capivaras, jacarés, veados, porcos-do-mato e, se der sorte, onças-pintadas. Os safáris fotográficos devem ser feitos sempre com a ajuda de guias e nos horários de maior atividade dos bichos: ao amanhecer e ao entardecer.
  2. Completar essa experiência selvagem com passeios noturnos para a focagem de jacarés e tamanduás.
  3. Cavalgar nas trilhas das fazendas de gado, cruzando áreas alagadas, para se aproximar de animais mais ariscos. Você pode, também, acompanhar a cavalo a lida dos peões com o gado.
  4. Passear de barco no período das cheias, a melhor época para fazer observação de pássaros e animais aquáticos como lontras, jacarés e ariranhas.
  5. Percorrer a Transpantaneira, estrada de 145 km entre Poconé e Porto Jofre, no Pantanal Norte, de preferência bem cedo ou no final da tarde, para assistir ao movimento dos animais pelos campos.
  6. Pegar o Trem do Pantanal, que sai aos sábados às 13h30 da estação de Aquidauana e vai até Miranda, chegando às 17h. A volta acontece no domingo de manhã.
  7. Cruzar de carro a bela Estrada-Parque Pantanal para ver jacarés e outros animais ao longo dos riachos. A estrada, aberta no século 19, que sai de Corumbá, no Pantanal Sul.
  8. Provar os peixes fartos e saborosos da cozinha pantaneira, sobretudo o pintado, o pacu e a piraputanga e os famosos caldo de piranha e sopa paraguaia.
  9. Pescar, sobretudo nas cheias, entre março e abril, quando a possibilidade de encontrar exemplares das cerca de 250 espécies da região aumenta.
  10. Esticar o passeio até a Chapada dos Guimarães, ao norte de Cuiabá, e conhecer uma das maiores maravilhas do interior do país.

  1. A mudança da paisagem pantaneira ao longo do ano. A estação seca, ideal para a observação de animais, vai de abril a setembro. Depois disso, as águas começam a subir e deixam muitas vias de acesso alagadas.
  2. Os mosquitos, principalmente ao anoitecer. Leve um repelente.
  3. A vida pacata da zona rural. Dorme-se cedo no Pantanal, porque o safári fotográfico rende mais nas primeiras horas da manhã.
  4. A dificuldade para encontrar sinal de celular e, mais ainda, de wi-fi.
  5. O calor intenso no verão, que coincide com as cheias. No meio do dia, aproveite para relaxar ou dar um mergulho na piscina do hotel.

Além de ser a maior planície alagável do planeta, espalhada por 250 mil km2 de áreas do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraguai e Bolívia, o Pantanal é conhecido por:

  • Ter uma biodiversidade animal extremamente rica. A região é habitada por cerca de 650 espécies de aves, 120 de mamíferos, 260 de peixes e 50 de répteis.
  • Ser considerado Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera pela Unesco.
  • Ser o hábitat da onça-pintada, o maior felino das Américas.
  • Preservar hábitos que não existem em outras partes do Brasil. Os pantaneiros costumam portar faca e tomar várias vezes o dia o tererê, o mate frio à moda paraguaia.

Para aumentar suas chances de ver e fotografar uma onça-pintada na natureza, consulte o Refúgio Ecológico Caiman, onde fica a base do Onçafari, o principal projeto de proteção e monitoramento dessa espécie. A iniciativa de aumentar a população de onças no Pantanal ganhou impulso quando os fazendeiros de gado da região perceberam que os felinos valiam mais vivos (atraindo turistas) do que mortos (evitando que atacassem as reses). As onças de fato são mais numerosas hoje do que alguns anos atrás, mas é preciso abordá-las com muita cautela – e sempre com a presença de guias bem treinados.

Cultura

Gastronomia

Churrascaria Laço de Ouro

Rua Frei Mariano, 534 - Centro, Corumbá - MS, Brasil

Kaskata Flutuante

R. Cel. José Dúlce - Centro, Cáceres - MT, Brasil

Bento’s

Rua Mal. Floriano Peixoto 357 – Miranda (MS)

Hospedagem

Refúgio Ecológico Caiman

Estrada de Agachi – Miranda (MS)

Fazenda Baía Grande

Miranda - MS 79380-000, Brazil

Pousada Araras Eco Lodge

Rodovia Transpaneira km 32 brasil

Noite

Consumo

Esportes

Música

Pontos Turísticos

10 coisas que você deve fazer

  1. Sair ao encontro de tuiuiús, garças, capivaras, jacarés, veados, porcos-do-mato e, se der sorte, onças-pintadas. Os safáris fotográficos devem ser feitos sempre com a ajuda de guias e nos horários de maior atividade dos bichos: ao amanhecer e ao entardecer.
  2. Completar essa experiência selvagem com passeios noturnos para a focagem de jacarés e tamanduás.
  3. Cavalgar nas trilhas das fazendas de gado, cruzando áreas alagadas, para se aproximar de animais mais ariscos. Você pode, também, acompanhar a cavalo a lida dos peões com o gado.
  4. Passear de barco no período das cheias, a melhor época para fazer observação de pássaros e animais aquáticos como lontras, jacarés e ariranhas.
  5. Percorrer a Transpantaneira, estrada de 145 km entre Poconé e Porto Jofre, no Pantanal Norte, de preferência bem cedo ou no final da tarde, para assistir ao movimento dos animais pelos campos.
  6. Pegar o Trem do Pantanal, que sai aos sábados às 13h30 da estação de Aquidauana e vai até Miranda, chegando às 17h. A volta acontece no domingo de manhã.
  7. Cruzar de carro a bela Estrada-Parque Pantanal para ver jacarés e outros animais ao longo dos riachos. A estrada, aberta no século 19, que sai de Corumbá, no Pantanal Sul.
  8. Provar os peixes fartos e saborosos da cozinha pantaneira, sobretudo o pintado, o pacu e a piraputanga e os famosos caldo de piranha e sopa paraguaia.
  9. Pescar, sobretudo nas cheias, entre março e abril, quando a possibilidade de encontrar exemplares das cerca de 250 espécies da região aumenta.
  10. Esticar o passeio até a Chapada dos Guimarães, ao norte de Cuiabá, e conhecer uma das maiores maravilhas do interior do país.

5 coisas que você não pode evitar

  1. A mudança da paisagem pantaneira ao longo do ano. A estação seca, ideal para a observação de animais, vai de abril a setembro. Depois disso, as águas começam a subir e deixam muitas vias de acesso alagadas.
  2. Os mosquitos, principalmente ao anoitecer. Leve um repelente.
  3. A vida pacata da zona rural. Dorme-se cedo no Pantanal, porque o safári fotográfico rende mais nas primeiras horas da manhã.
  4. A dificuldade para encontrar sinal de celular e, mais ainda, de wi-fi.
  5. O calor intenso no verão, que coincide com as cheias. No meio do dia, aproveite para relaxar ou dar um mergulho na piscina do hotel.

O que há de especial

Além de ser a maior planície alagável do planeta, espalhada por 250 mil km2 de áreas do Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraguai e Bolívia, o Pantanal é conhecido por:

  • Ter uma biodiversidade animal extremamente rica. A região é habitada por cerca de 650 espécies de aves, 120 de mamíferos, 260 de peixes e 50 de répteis.
  • Ser considerado Patrimônio Natural Mundial e Reserva da Biosfera pela Unesco.
  • Ser o hábitat da onça-pintada, o maior felino das Américas.
  • Preservar hábitos que não existem em outras partes do Brasil. Os pantaneiros costumam portar faca e tomar várias vezes o dia o tererê, o mate frio à moda paraguaia.

TOP

Para aumentar suas chances de ver e fotografar uma onça-pintada na natureza, consulte o Refúgio Ecológico Caiman, onde fica a base do Onçafari, o principal projeto de proteção e monitoramento dessa espécie. A iniciativa de aumentar a população de onças no Pantanal ganhou impulso quando os fazendeiros de gado da região perceberam que os felinos valiam mais vivos (atraindo turistas) do que mortos (evitando que atacassem as reses). As onças de fato são mais numerosas hoje do que alguns anos atrás, mas é preciso abordá-las com muita cautela – e sempre com a presença de guias bem treinados.

  •   Todos

  •   Cultura

  •   Gastronomia

  •   Hospedagem

  •   Noite

  •   Consumo

  •   Esporte

  •   Música

  •   Pontos
    turísticos
Avalie esse destino:
1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas

Instagram

Marque suas fotos com a localização e a hashtag #topdestinos para aparecer no nosso mural.

Leia Também

 

Fernando de Noronha

 

Fernando de Noronha

  Baía do Sancho A Baía do Sancho, com suas inacreditáveis águas cristalinas, é a favorita de muitos. Outros preferem a Baía dos Porcos, que tem piscinas naturais e os morros Dois Irmãos bem em…

 

Jerusalém

 

Jerusalém

Um alerta: Jerusalém pode provocar tontura. É tanta história, tanta prece, tantos aromas e tanta beleza que os sentidos podem ficar atrapalhados. Mas no bom sentido. Uma das cidades mais antigas da humanidade, fundada no…

 

Chicago

 

Chicago

Uma das maiores cidades dos Estados Unidos, localizada ao redor do imenso Lago Michigan, Chicago já foi cenário de guerras de gangsters, durante a Lei Seca, e viu crescer arranha-céus assinados por alguns dos mais…

  •   Todos

  •   Cultura

  •   Gastronomia

  •   Hospedagem

  •   Noite

  •   Consumo

  •   Esporte

  •   Música

  •   Pontos
    turísticos